Foodtech [pt]

Uma nova revolução para 2018?

Se nos projetarmos daqui a 5 anos, nos somos obrigados a constatar o obvio. O setor agroalimentar vai passar por enormes mudanças nos anos que chegam. Inicialmente falamos de tecnologia, depois abreviamos para tecno e mais recentemente falamos em Foodtech. A pergunta que fica no ar é:  Como é possível enxergar além da realidade e o efeito buzz em marketing? Como saber se não é somente uma nuvem passageira?

Devemos estar prontos para fazermos face a um grande desafio futuro: como alimentar 9 bilhões de pessoas em meados de 2050? Assim, mostra-se imperativo para as pessoas que trabalham na área agroalimentar a obrigação de se reinventar, de subir as velas do barco e se orientar em direção ao bom vento, chamado digital. Devemos integrar estas novas tecnologias para poder construir uma nova cadeia alimentar mais inteligente (utilizando da inteligência artificial) e muito mais eficaz. O objetivo deve ser visto como comum e devemos pensar em obter: o ganho da eficiência e agregando mais valor aos produtos, como por exemplo: os produtos veganos, a cenoura é a mesma mas os VALORES evoluíram.

Na verdade, o setor agroalimentar esta iniciando um novo ciclo, em uma nova Era, sobretudo quando já se sabe que os consumidores do ano de 2020 já nasceram ou estão para nascer. Nesse futuro, estes consumidores terão expectativas e comportamentos completamente novos, basta olhar para alguma criança da familis como sobrinho, filho, primo etc.

Devemos considerar que esta nova geração é bem diferente das  outras gerações que fizeram o sucesso do agroalimentar e de distribuição logística que conhecemos hoje. Este também é um tema a se abordar e a provocar para uma reflexão. São estes novos consumidores que conhecemos, como você e eu, que vão fazer parte desta evolução alimentar com intuito de serrem mais autênticos com os seus próprios valores.

Com isto, não quero dizer que devemos abandonar nossas criações e riquezas do que fizemos passados 30 anos (como aparição do forno micro-ondas, os pratos congelados etc). O meu objetivo é de ir mais além, eu te convido a  olhar o horizonte. O que peço é para usarmos nosso poder de imaginação para este novo futuro, no qual considero que vamos todos estar: o futuro da Foodtech, no qual seu crescimento é exponencial.

Devemos buscar soluções que irão privilegiar os utilizadores deste setor a partir de hoje, qual o objetivo a ter em mente? Melhorar, prevenir e se preparar, devemos antecipar as ações futuras, organizá-las de uma forma mais coerente com o objetivo. A evolução das organizações é indispensável, pensar diferente e reorientar os processos que passam por modelos de experimentação e de colaboração, veja o exemplo das Start-up. Afinal uma revolução nunca chega sozinha, vai ser necessário pensar de outra forma para reconstruir os novos postos de trabalho do amanha.

Foodtech : let’s cook the future together !

 

Texto inspirado em:

PASCALE AZRIA,
Co-Fondatrice de Food is Social
KEVIN CAMPHUIS
Co-Fondateur de ShakeUpFactory

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *